De observador a participante: considerações sobre a identidade do pesquisador

De observador a participante: considerações sobre a identidade do pesquisador

De observador a participante: considerações sobre a identidade do pesquisador

Este trabalho é fruto da reflexão suscitada por nossas vivências como pesquisadoras do Grupo de Pesquisa em Identidade e Educação, que realizou uma pesquisa interventiva com professores do ensino fundamental em duas escolas da rede pública da cidade de São Paulo – uma municipal e outra estadual. Esse tipo de pesquisa pressupõe dois processos que ocorrem concomitantemente: o de prestação de serviços e o de pesquisa.

No caso em pauta, a atuação com grupos de professores no sentido de eles terem clareza sobre a constituição de sua identidade profissional, de tal forma que possam elaborar transformações na mesma, é o que denominamos processo de prestação de serviços. Essa atuação, por outro lado, se constitui como um campo no qual temos produzido várias pesquisas sobre diferentes temas: as relações entre identidades dos professores e alunos; as diferentes formas de atuar no grupo; as relações entre pesquisadores e professores; as dificuldades encontradas no contexto de ensino; a questão da arte e da cultura em uma pesquisa interventiva; condições que possibilitam a realização da pesquisa interventiva, etc.

Convém esclarecer, inicialmente, que o grupo de pesquisa foi constituído por diferentes participantes ao longo desses anos. Hoje é composto por oito pesquisadoras, sendo sete Mestres em Psicologia Social pela Universidade São Marcos e uma psicóloga, sob a coordenação da Profa. Dra. Marisa Todescan Dias da Silva Baptista. Os encontros para discussão e elaboração dos procedimentos a serem utilizados para o andamento da pesquisa (técnicas de relaxamento/aquecimento, dinâmicas de grupo, levantamento de necessidades, materiais a serem utilizados, avaliações dos resultados, etc.), assim como avaliação das intervenções
já realizadas, eram realizados semanalmente na Universidade São Marcos.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *