A importância do grupo na questão da dependência de drogas

A importância do grupo na questão da dependência de drogas

A importância do grupo na questão da dependência de drogas

INTRODUÇÃO

Objetivos
O presente trabalho tem como objetivo mostrar os diferentes mecanismos que levam a supressão da drogadependência nos grupos de auto-ajuda.

Através de observações realizadas em reuniões de um grupo de auto ajuda à adictos, abertas ao público, foi constatado o grande número de pessoas que depois de se submeterem a vários tratamentos institucionais (hospitais psiquiátricos, clínicas para dependentes químicos, etc.), só deixaram de ser adictos após freqüentarem o referido grupo.

Casuística e métodos
Procurou-se observar atentamente as formas de atuação dos diversos integrantes que promovem a filosofia de trabalho dos N.A. (Narcóticos Anônimos).
As observações foram realizadas em dois grupos de N.A. diferentes, em reuniões chamadas de “abertas”, já que são abertas ao público.

Os participantes que fazem parte da “Irmandade de N.A., são convidados a darem seus depoimentos individualmente, sentados em uma cadeira a frente de todos. Só participam aqueles que assim desejarem. Nesse depoimento, geralmente os participantes contam como estão, como passaram o presente dia, e por várias vezes relatam fatos já acontecidos, quando encontravam-se no pico da dependência, a fim de incentivarem os outros adictos a continuarem comparecendo às reuniões.

DESCRIÇÃO – O que são os “Narcóticos Anônimos”?

Narcóticos Anônimos, é uma associação comunitária de adictos a drogas em recuperação. Iniciado em 1947, o movimento de N.A. é um dos maiores e mais antigos deste tipo, com aproximadamente vinte mil reuniões semanais em 70 países.

O primeiro folheto de N.A., conhecido entre os membros como “O Livreto Branco”, descreve N.A. como uma “Irmandade” de homens e mulheres, sem fins lucrativos, para quem as drogas se tornaram um problema maior – “adictos em recuperação que se reúnem para ajudar uns aos outros a se manterem limpos.”

A afiliação à Narcóticos Anônimos é aberta a qualquer adicto a drogas, independente do tipo ou combinação de drogas usadas. Não existem restrições sociais, religiosas, econômicas, raciais, étnicas, de nacionalidade, gênero ou status social. A afiliação à Narcóticos Anônimos é inteiramente voluntária. Não existem arquivos sobre a freqüência e nem listas de membros seja para uso interno de N.A. ou para qualquer outro uso. Os membros vivem em suas comunidades e freqüentam as reuniões quando lhes convém. Não existem taxas para afiliação. A maioria dos membros contribui regularmente com pequenas somas que ajudam a cobrir as despesas dos grupos, mas as contribuições não são obrigatórias.

A base do programa de recuperação de Narcóticos Anônimos é uma série de atividades pessoais conhecida como “Doze Passos”, adaptados dos Alcoólicos Anônimos. Estes “passos” incluem a admissão de que existe um problema, a busca de ajuda, auto-avaliação, partilha em nível confidencial, reparar danos causados e trabalhar com outros adictos a drogas que queiram se recuperar. Algo importantíssimo no programa é a ênfase no que é chamado “despertar espiritual”, ressaltando o seu valor prático e não sua importância filosófica ou metafísica, o que facilitou a tradução do programa, mesmo considerando-se barreiras culturais. N.A. em si, não é um programa religioso e encoraja cada membro a cultivar um entendimento pessoal, religioso ou não, deste “despertar espiritual.”

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *